Mostrando postagens com marcador meus rascunhos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador meus rascunhos. Mostrar todas as postagens

22 de jan de 2013

I just want to live while I'm alive

| | 2 comentários

Aquele era o momento de mudar tudo? Será que essa minha mudança de atitude mascararia os problemas? Ou seria apenas uma escapatória temporária? Sinceramente? Eu não me importava mais. Eu não me importava mais com consequências, com ações mal pensadas.
Poderia soar tão clichê, mas eu sentia que deveria aproveitar minha vida, não só naquele momento, mas em outros que viriam a seguir. Era aquela estranha sensação de que o tempo está correndo contra você, suas pernas já estão cansadas e você não conseguiria alcançá-lo. Ali, parada, sentindo a brisa da praia sobre minha pele e encarando o olhar mais enigmático e bonito de todo o mundo, eu decidi que cada segundo seria uma vida. Sem desperdícios.


PS: Sim, eu amo Bon Jovi :)
PS 2: Mais que 4000 acessos no blog! Obrigado, gente. Isto me estimula a continuar :)

27 de out de 2012

Caminhos

| | 1 comentários


A vida as vezes nos prega peças. Para mim, ela está abrindo caminhos, muitas vezes me deixando indecisa sobre o qual eu devo tomar. Está criando situações de decisão, me deixando muito confusa.
Se quero saber se tomei o caminho certo? Se decidi pelo melhor? Vou deixar apenas que o futuro me responda.

PS: Amores, ENEM aí e reta final de estudos para o vestibular. Talvez eu abandone um pouquinho o blog, mas não é para sempre.

9 de out de 2012

When are you free to take some tea with me?

| | 0 comentários


Querido John,

Porque você não responde ás minhas cartas e aos meus telefonemas? John, John, sinto sua falta! Lembra daquelas tardes que passávamos juntos, tomando chá e comendo seus biscoitos favoritos enquanto discutíamos sobre o mundo? E aqueles dias em que você me levava em seus lugares preferidos? As noites em que deitávamos na grama, sob o céu azul escuro iluminado somente pelas estrelas? Você lembra John? Que saudades que eu sinto de tudo isto, meu querido John.
A vida por aqui está pacata e escura. As luzes estão sempre apagadas e nem uma fagulha de luz ousa me iluminar. Quando você irá voltar para iluminar minha vida, John? O chá e o céu não são os mesmos sem você aqui. Como você pode me deixar desamparada neste lugar estranho? Tudo aqui é estranho e diferente John! Não que eu tenha mudado de cidade, não, eu não mudei. O mundo é que é estranho sem você aqui. 
Já estamos na primavera por aqui, John! Que estação do ano se passa ali? Queria que me ajudasse com as flores, com as tulipas vermelhas, principalmente. Lembra da afinidade que tinha com elas? Dos segredos jogados aos quatro ventos por você? Você agia como se elas pudessem te responder! 
E eu, por trás da cortina da sala, ria da cena hilária que se passava. Desculpe por nunca ter contado que espiava você por entre as leves cortinas floridas, não queria estragar seu momento de extrema sanidade mental.
Sei que já falei demais sobre mim, querido John. Fale-me sobre o que se passa por alí? Adoraria conhecer seu novo refúgio, seus novos hábitos e talvez, agora, poder tocar as estrelas com você. Você me daria uma estrela se a conseguisse pegar, John? Você conheceu pessoas novas? Talvez uma nova pessoa com quem você divida os segredos? Espero que não tenha esquecido de mim, querido. Você anda sempre aparecendo em meus sonhos, sinto como se olhasse o futuro e previsse o passado!
Espero que venha até aqui para tomar uma xícara de chá comigo, John. Sinto que estou cada vez mais perto de encontrá-lo, só me faltam motivação e uma pitada de coragem.                             
Apesar do abandono, eu continuo te amando muito, John.

Abraços apertados de saudades,
 Lucy

Logo após, a garota de olhos tão claros como os sóis de primavera, jogou o conteúdo de um pequeno vidro em seu chá e bebericou-o devagar.
As palavras "Seremos eternos, John" foram pronunciados pelos seus delicados lábios .
Não tardou a chegar o eclipse.

P.S.: Em homenagem á John Lennon, que hoje faria 72 anos. Querido John, sinto muito por você não estar aqui conosco. Obrigada pelas canções maravilhosas e por ter feito do mundo um lugar melhor.

27 de ago de 2012

| | 0 comentários

‎"Era aquela garota que há pouco corria pros braços da mãe com o cotovelo esfolado e lágrimas nos olhos. Agora ela corria com o boletim nas mãos, sorrindo por uma nota seis qualquer, sentindo-se totalmente despreparada para a vida. Queria juntar vestibular, título de eleitor, trabalho, responsabilidade, tudo no mesmo bolo de porcarias e jogar na primeira lixeira que encontrasse. Não era tão simples como um arranhão, mas ainda era a mesma menina."

23 de mai de 2012

Suicídio

| | 0 comentários

Sabe, o arrependimento, a certeza de que não vai acontecer nunca mais, as vezes é um suicídio, um suicídio das coisas ruins.
Todos os dias nos suicidamos um pouco, quando tudo o que tínhamos fica para trás, mas uma nova vida começa todo dia também, mesmo que as vezes seja, e tenha que ser, novamente do zero.

5 de ago de 2011

Filosofei sobre alguns que não mereciam minha filosofia

| | 1 comentários

Já estou cansada de amigos entre dois grandes pares de aspas.

Georgina B.

29 de mar de 2011

| | 0 comentários

O amor sabe machucar bem mais que qualquer corte. Mesmo sem sangue e ossos quebrados.

Georgina B.

24 de mar de 2011

| | 0 comentários

Pare de se achar a última bolacha do pacote.
Na maioria vezes ela cai no chão, se esfarela toda e vai parar no lixo.

Georgina B.

22 de mar de 2011

Pantomima

| | 0 comentários

Então você percebe o nó se formando mais uma vez, enquanto você tenta adivinhar o porquê de não se sentir mais o mesmo. Pelo que eu estou vivendo? Para que as diversas opiniões tentem me mudar? Para encontrar um herói e um bandido em minha história? Para idealizar um futuro impossível? A pressão que me provoco é sufocante. É uma pressão que sufoca mais que a pressão do mundo. E então, quando tudo parece estar bem, desmorono novamente. Olá pressão! Você apareceu novamente em minha mente? Vamos, vamos, comece a falar! "Porque você não me obedeceu? Se você tivesse se esforçado mais, e feito besteiras de menos nada disto teria acontecido. Seus ombros aguentam o peso que precisar carregar" cutucou ela. Como contradição "Não carregue o mundo em seus ombros", dizem os próximos. São estes mesmos próximos que me criticam pelo meu jeito de ser. Para vocês, arrogância. Para mim, timidez. Para vocês, introversão. Para mim, um simples momento em que estou refletindo, no qual  não falar com ninguém é necessário. Não me julgue pelos gestos corporais. Eles não são nada! Assim como o sorriso falso que dou quando digo "Estou bem!" não signifique que eu esteja me sentindo deste jeito. Significa apenas que eu estou desmoronando em um abismo obscuro de preocupações e mentiras e precise de um abraço. E depois do seu abraço, talvez eu não me sinta mais abandonada. Apesar de ser extremamente difícil não gritar aos intrometidos que não, eu não caí na depressão e que vocês não precisam avisar suas suspeitas sobre o meu estado mental a minha família. Os caminhos foram totalmente e exclusivamente escolhidos por mim. O futuro é meu, sou eu que o viverei. Para alguns, precipitado, mas eu pensei tanto antes de decidir, não foi? Mas não importa se é uma questão de se estar certo ou não. Eu quero é mostrar aos outros, e a mim, que é imprevisivel, que eu sei exatamente o que acontece dentro de mim e que eu estou tentando acabar com este nó que ainda não se formou.
O que quer que aconteça, eu deixarei tudo à sorte.
Por mais que por dentro meu coração esteja se partindo e minha maquiagem pode estar escorrendo, meu sorriso permanece. Afinal, o show tem que continuar.

P.S.: Sinceros agradecimentos ao meu muso inspirador: o Queen.

17 de mar de 2011

| | 0 comentários
 Nos menores frascos não estão os melhores perfumes e sim os piores venenos.
Apenas tome cuidado, apesar do tamanho do frasco, o veneno está mais concentrado.

Georgina B.

15 de mar de 2011

Aceite-me e compreenda-me se for capaz

| | 0 comentários
 
Em tempos de festas, fico irritada facilmente. Não suporto esse clima de alegria total, de esfrega esfrega. Carnaval para mim, é em casa. Prefiro ficar lendo um bom livro madrugada adentro á sair na noite de sábado. Não gosto de beber. Bebida para mim é suco ou um bom copo de leite gelado com achocolatado. Não gosto de ficar "pegando geral", me valorizo e não beijo qualquer um. Para mim, cada beijo precisa ser especial e não por qualquer razão. Estudo e leio porque gosto, e não por obrigação. Não sou forçada a estudar e fazer meus deveres porque meus pais sabem que podem ficar tranquilos quanto a isso. Minhas notas são altas em todas as matérias e nem por isso eu sou nerd. Adoro Beatles, Queen, Abba, Cyndi Lauper, Pink Floyd, Muse, Kings of Leon, Greenday, Black Sabbath, Mika e alguns cantores da Disney e você não pode me criticar por isso. É o meu gosto musical, se você não gosta não critique. Adoro fazer palavras cruzadas de jornal bebendo um capuccino em um café de esquina. Tenho antipatia seletiva e sou autista por opção. Não acho legal se embebedar em festas, afinal vou para me divertir e não para passar mal. Não tenho o corpo perfeito, mas gosto dele. Adoro estudar astronomia por conta própria (tenho até meu próprio telescópio). Sou tímida com pessoas que não conheço. Sou fechada quanto á questão segredos. Só quem os conhece é o meu diário trancafiado em uma gaveta á 7 chaves. Confio desconfiando. Sou romântica. Gosto de lugares sombrios e histórias de terror. Adoro ficar sozinha em casa á noite. Fico remoendo coisas que aconteceram na minha cabeça por dias. Gosto de moda e de criticá-la. Tenho sonhos estranhos e muitas vezes premonitórios. Minha mãe é minha melhor amiga já que não tenho aquelas merdinhas de "bff". Creio fielmente que nasci no século errado. Sou extremamente feliz do jeito que sou.
E não sociedade, eu não preciso pedir desculpas para você. Seus lindos moldes não foram projetados para aberrações como eu. Fui moldada em moldes sob medida e se você não gosta de quem eu sou, sugiro veementemente a Vossa Senhoria que procure receber contribuições inusitadas na cavidade retal.

P.s¹: Desabafei e me sinto mais leve. 
P.s²: Obrigado por aguentarem meus desabafos.
P.s³: Me deixaram ficar em casa da escola hoje já que estou mal! \o/

10 de mar de 2011

Talvez haja beleza no adeus

| | 0 comentários

Passei a ser mais insensível desde quando você se foi. Perdi a conta das razões pra chorar.  As piores dores são as palavras que não posso dizer. Me reerguer sugou todas as minhas boas energias.
Brincar com sentimentos alheios se tornou meu passatempo favorito. Dou gargalhadas quando vejo uma cena de terror, destruição ou tristeza. De maneira rude digo que não me importo com o que você pensa de mim. A frieza está presente em cada palavra de desprezo que eu pronuncio. Olho para as fotografias com a mesma cara de nojo que olho para um corpo putrefato. Metade do mundo eu não quero por perto, e a outra metade eu lamento. 
Devo ser um monstro sem dó, porque, na verdade, eu não tô nem aí.

P.S.: Não, não se trata de um amor adolescente. Só se trata de uma das pessoas mais importantes na vida de alguém, que me deixou quando eu mais precisei.

8 de mar de 2011

Nada melhor que ser mulher

| | 0 comentários

Coitados de vocês homens que jamais saberão como é gostosa a sensação de sempre ter a preferência. Vocês que nunca poderão pôr a culpa na cólica ou na TPM; que jamais verão graça em perder um dia todo no shopping, só vendo as vitrines. Homens, que não sabem como é revigorante falar sobre todo e qualquer assunto com suas amigas; que não têm ideia de como é traumatizante quebrar uma unha; não entendem, de verdade, como é triste acordar com o cabelo oleoso. Vocês, homens, tão ingênuos, nunca enfrentarão a indecisão na hora de escolher um esmalte. Não irão, nem ao menos, poder seduzir alguém fazendo somente um biquinho de birra. Homens, que acreditam ser superiores, nem sabem como é gostoso e, ao mesmo tempo, cruel estar sobre um salto agulha. Ficarão a vida toda sem saber como é bom ser abraçada por um homem alto e largo, com braços grandes e fortes. Homens, meninos, caras, garotos. Nunca, nunca entenderão quão importante é passar lápis nos olhos antes de sair de casa; quão triste o final de “O Diabo Veste Prada” realmente é; quão sexy um cara inteligente pode ser. Jamais terão ideia de como é legal não precisar atravessar a rua na faixa, já que alguns caras doentes param pra que você possa passar. Vocês, inocentes, que não imaginam quantas coisas descobrimos durante nossas conversas rotineiras de banheiro; que não sabem como é gostoso morrer de chorar com um pote de sorvete no colo. Homens que jamais poderão reclamar de um corte na perna feito pela gillette durante o banho; que jamais perceberão como é difícil entender um cara; que jamais poderão gritar ao ver uma barata ou qualquer outro inseto; que jamais, jamais mesmo, poderão ficar em casa só de baby look e calcinha. Vocês, machistas, que nunca sentirão a tão comentada, e totalmente feminina, dor da rejeição; que jamais saberão como é triste viver sendo paranóica, ciumenta e temerosa de ser substituída. Jamais esfregarão uma perna na outra, tentando afastar uma leve onda de excitação repentina; jamais saberão como é gostosa a sensação que te obriga a morder os lábios ao ver o peito nú de um cara gato; jamais entenderão o prazer existente que há em ler um romance. Homens, pobres homens, que não sabem, nem nunca saberão, como é gostoso chorar quando há um cara realmente preocupado contigo te abraçando; como é revigorante usar um vestidinho leve quando o calor está infernal; como é comum e extremamente natural o ato de chorar até dormir, molhando todo o travesseiro. Vocês, garotos, que nunca terão ideia de como nossos assuntos são interessantes e, mais do que isso: masculinos. Nunca poderão ficar o dia todo com as pernas cruzadas. Nunca poderão cantar loucamente, mesmo estando sozinhos, refrões como “HOW DO I GET YOU ALONE?!” e, portanto, nunca entenderão como é gostosa a sensação de gritar enquanto se canta. Nunca poderão fazer vozes estranhas enquanto brincam um bebê ou um animal. Nunca, nunquinha, vão poder passar um batom básico porque acordaram com a boca sem cor, e, devido a isso, jamais saberão como é revigorante acordar dispondo de uma rica quantidade de batons - úteis ou não. Homens, simplesmente homens, que jamais ganharão um vibrador de aniversário de sua amiga mais íntima; que jamais entenderão como é frustrante usar uma calça com a calcinha marcada; que jamais poderão sequer abrir a boca para reclamar sobre dores abdominais, já que nenhum homem fala isso; que jamais poderão xingar outros homens que arrotam no meio das refeições; que jamais saberão como é gostosa a sensação de saber que o cara tá afim de ti e ficar somente provocando. Homens que nunca poderão reclamar de uma garota-sem-atitude; que nunca poderão fazer ballet sem serem julgados; que nunca entenderão nosso mundo; que nunca entenderão que, para nós, coisas pornográficas (como revistas, filmes etc) são motivos de risos e não de tesão; que nunca saberão como é bom ficar excitada sem aparentar. Garotos, coitados de vocês, que não podem bater na bunda de ninguém; que não podem falar sobre certos assuntos com seus amigos; que não entendem a graça fantástica por trás de Romeu e Julieta e acham que é somente mais uma mera história romântica barata. Pobres são vocês, homens, sempre tão garotos, que são completamente abatidos por uma gripe básica e dizem ser fortes. Meninos, coitados, que têm que lidar com todos os pensamentos de garotas ao longo de suas vidas sem jamais conseguir entender um deles sequer. Vocês entenderiam se não fossem meros meninos.
Autora desconhecida

 P.S.: Em nossa homenagem, já que hoje é o nosso dia :D

7 de mar de 2011

| | 0 comentários

Pessoas podem dizer o que quiserem sobre mim, mas no final do dia eu ainda vou ser eu, e eu ainda vou viver minha maldita vida.
Megan Fox

Pessoas podem dizer o que quiserem sobre mim, mas no final do dia eu ainda vou ser eu, e eu ainda vou viver minha maldita vida.

Megan Fox

5 de mar de 2011

Recado

| | 0 comentários
Á todas as pessoas falsas, chatas e invejosas que conheço:
Como sou uma pessoas extremamente gentil com todo mundo que merece, resolvi dar um presente a vocês: vocês receberão uma passagem só de ida para Puta Que Pariu. Curtam sua viagem e não mandem cartões postais, muito menos notícias.

Com muito amor e carinho

Georgina

3 de mar de 2011

Vadia.com

| | 0 comentários
Hey, garota! Isso mesmo, você aí! Me explique? Me diga, como você consegue? Estou pensando em imitar você e ser feliz no seu estilo de vida. Como você consegue usar estes micro-vestidos? E esses decotes enormes? Como você consegue beber até cair e ainda se achar "A poderosa"? Como você consegue estar sempre rodeada de homens interessados em coisas que você oferece para eles? Como você faz para não sentir nojo de todas aquelas bocas inundadas? Aquela imundice toda de álcool e drogas daqueles homens que te usam e você nem aí! Como você consegue ser tão imunda? Tão, tão... usável! Como você consegue ser reconhecida em todos os motéis de quinta da sua cidade? Como consegue ser uma puta assalariada? Eu seria mais esperta e cobraria! Como você consegue se preocupar apenas com a quantidade e não com a qualidade? Você não se sente mal por ser um brinquedo sexual? Todos te usam e você faz o que eles pedem e depois te largam por aí! Sabe porque? Porque você foi só mais uma na lista dele!

Como você consegue ser só um guardanapo imundo em que TODO HOMEM SE LIMPA E PASSA A MÃO?
Como você consegue fazer sexo com eles? Sem amor, sem lógica, você é praticamente violentada, garota!  As DST'S te amam. Todas se hospedam no seu corpo. Todos se hospedam em você. Todos te veem com maus olhos. Todos te veem como "vadia", "puta", "vagabunda", "fácil", "prostituta grátis". E você? Se achando A gostosa!


Só espero que um dia você pense nos danos que está causando no seu corpo e tente ser realmente feliz da maneira correta.

baseado no texto do blog On Our Closet.

1 de mar de 2011

| | 0 comentários

Não, eu não caí. Eu não caí nenhuma vez. Eu só tropecei. 
E eu posso muito bem voltar no meu caminho e chutar a pedra responsável por isso.

25 de fev de 2011

Gênios que inspiram gerações

| | 0 comentários
Hoje faz exatamente 15 anos que perdemos um de nossos melhores escritores. Hoje seria também o aniversário de 68 anos de um garoto de Liverpool. Caio Fernando Abreu e George Harrison infelizmente não estão mais entre nós. Caio com seus textos e frases descritivos e encantadores, muitas vezes intrigantes e com vários sentidos. George com seus solos de guitarra, suas composições e sua voz estupenda.


Caio morreu no dia 25 de fevereiro de 1996 aos 47 anos em Porto Alegre vítima do vírus HIV. Escrevia num estilo econômico e bem pessoal, fala de sexo, de medo, de morte e, principalmente, de angustiante solidão.

George nasceu no dia 25 de fevereiro de 1943 e veio a falecerem 29 de novembro de 2001 aos 58 anos vítima de câncer. Foi o incrível compositor de Here Comes The Sun e Something.

Por mais que o tempo tenha passado, por mais que estes dois gênios não estejam entre nós, continuam presentes no cotidiano dos jovens, que assim como eu, os tem como Gênios Inspiradores.
Para encerrar o post, um pedacinho favorito do trabalho de cada um :)


Ela é exatamente como os seus livros: transmite uma sensação estranha, de uma sabedoria e uma amargura impressionantes. É lenta e quase não fala. Tem olhos hipnóticos, quase diabólicos. 
E a gente sente que ela não espera mais nada nem de ninguém, que está absolutamente sozinha e numa altura que ninguém conseguiria alcançá-la.  
 Caio F. Abreu

 
George Harrinson tocando Here Comes The Sun 
 


P.S.: Em breve volto para a escola. Não é nada agradável entrar naquele ninho de cobras novamente. Meus posts podem rarear, mas não vou abandonar esse cantinho.

22 de fev de 2011

Je t’aime

| | 0 comentários

Inspirei o ar doce e voltei a encarar a paisagem na janela. Os raios de sol já surgiam altos pelo horizonte. Parecia que o mar trazia o sol, como se o abraçasse em despedida. Eu assistia a aurora do dia com um sorriso fraco nos lábios, ainda havia esperança residindo em meu corpo, exigindo paciência. Não tinha a mínima idéia de quais seriam minhas reações ao respirar o ar da cidade novamente e relembrar todo o meu rijo passado, mas talvez fugir não fosse a opção. Eu só precisava esquecer o passado e viver o presente. Presente como aquele que se deitava na cama aquecida, enrolado entre lençóis macios, respirando pausadamente em seu sono mais profundo. Mesmo com o sol inteiro acima do mar, demorei a acreditar que iria dormir sem pesadelos e só me senti segura quando ouvi o canto dos pássaros, a natureza me dando forças. Fechei as cortinas cautelosamente para que a claridade não acordasse meu presente. Voltei à cama, feliz por tê-lo ao meu lado. Observei seu rosto sereno e ao mesmo tempo, tão doce e tão bonito. Poderiam passar-se horas, dias e meses, mas eu nunca me cansaria de ver aquele rosto. Seu sorriso tinha uma ação tão anestesiante sobre mim e seus toques faziam com que ondas elétricas percorressem meu corpo.
Os lençóis frios tocaram minha pele, enquanto um arrepio percorria minhas costas. Depois de um certo tempo mergulhada em pensamentos catastróficos e dolorosos, adormeci.  
A última coisa que senti foi braço de meu presente me trazendo para mais perto de si, acolhendo-me, forçando-me a inspirar o perfume másculo que seu peito exalava e um sussurro foi  pronunciado através daqueles lindos e calorosos lábios: Je t’aime.
MyFreeCopyright.com Registered & Protected